Translate

31 de outubro de 2012

Linguística Forense no Brasil - FAQ

Algumas pessoas tem me escrito com algumas dúvidas sobre a situação da Linguística Forense no Brasil.

Assim, decidi juntar algumas dessas respostas numa só postagem, em forma de um "FAQ". Vamos lá:


1) Existem disciplinas universitárias no Brasil, de graduação ou de pós-graduação, que tratem de Linguística Forense?

A única disciplina da qual tenho notícia foi a ministrada no semestre passado na Universidade Federal de Santa Catarina pelos professores Malcolm Coulthard e Débora Figueiredo, na pós-graduação.
Vale ressaltar que existem duas acepções para o termo "Linguística Forense": em sentido amplo, é qualquer estudo de interface entre a Linguística e o Direito; em sentido estrito, refere-se apenas ao uso de análises linguísticas para o fornecimento de evidências no contexto criminal e judicial. Então, pode até ser que no sentido amplo, haja outras disciplinas pelo país, mas em sentido estrito, repito, só tenho notícia desta da UFSC.



2) Se há tão poucos cursos, como faço para estudar?
Seja autodidata! Um tempo atrás postei aqui um link para uma lista dos principais livros na Amazon. A IAFL também trás uma ótima lista de referências bibliográficas. Ah, e estude Linguística!
Você também pode fazer cursos online como o do Prof. Jim Fitzgerald (linguista e ex agente do FBI) e o do Prof. J.Olsson, que servem para dar uma boa base para quem está começando na área.

3) Quanto ganha um Linguista Forense no Brasil?

Essa eu vou ficar devendo! Não dá para dizer quanto ganha pois não há, que eu saiba, quem viva apenas de ser linguista forense "full time" no Brasil... O que posso dizer é que conheço quem tenha trabalhado como perito e que ganhou, há uns anos já, aproximadamente R$ 6000,00 para a confecção de um laudo. Agora, não tem um salário fixo e não dá para saber quantos laudos se faz em um determinado período de tempo. 


4) Nunca vejo ofertas de emprego em Linguística Forense no Brasil. Por quê?

Essa pergunta está relacionada com a resposta anterior. Eu não diria que EMPREGO não falta. Diria que DEMANDA não falta. Não tem concurso na área e nem oferta de emprego porque 99% das pessoas que precisariam destes serviços ainda nem sabem que eles existem! Cabe ao linguista brasileiro interessado em Linguística Forense se fazer conhecer, divulgar a área... É isso que tento fazer neste blog. E pesquisar! Já que as pesquisas no país ainda são incipientes. É isso que tento fazer no doutorado!

5) Qual é a área mais desenvolvida da LF no Brasil?
Pelo que tenho pesquisado, acredito que seja a Fonética Forense. Não só a mais desenvolvida, mas também a mais "institucionalizada". Pelo menos é o que mais se vê, até mesmo numa busca rápida no google.
Exemplos são o livro de Antonio Braid, Fonética Forense, da ed. Millennium, o Laboratório de Fonética Forense, do Instituto Brasileiro de Peritos e outros que indico em postagem específica sobre Fonética Forense (clique aqui).

6) Existe alguma Associação de LF no país?
Em setembro deste ano foi criada a ALIDI - Associação de Linguagem & Direito (da comunidade dos países de Língua Portuguesa). Ainda não há, que eu saiba, um website da Associação, mas todos os interessados em participar da fundação da Associação assinaram a ata de sua constituição no evento "Linguagem e Direito" que ocorreu na UNICAP, em Recife.


Acho que é isso por enquanto! Como sempre, assim que eu tiver mais informações, vou postando.